terça-feira, 6 de março de 2012

guardo-te a lágrima
leve
o pesar
e a próxima pena
guardo-te para a alegria
repentina de sentir-se
sempre amada
redimida
sem mais lâminas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário