domingo, 8 de abril de 2012

fragmentices

a culpa
copo
cheio
de mágoa
ao existir
-me
tão 
ao extremo

teu corpo

tão curva
rota 
reta ao
desespero
mais completo


a fome
estendida
sobre todas 
as formas

a boca

entreaberta
entrecruza
o lábio 
o hálito 
o ar
e olfatos
outros

Nenhum comentário:

Postar um comentário