domingo, 8 de abril de 2012

perto à aurora
de desacerto e
desacréscimo
perdura a noite
sob a penumbra
desse aperto
absoluto dentro
do peito



3 comentários:

  1. Lindo. Anoite muda traz palavras longas.
    bj

    ResponderExcluir
  2. a noite pesa.
    a madrugada cai sobre as nossas cabeças.
    o céu é severo verdugo inexorável.
    as horas estendem a vastidão das coisas infindáveis.
    o ganho é frágil; a perda, não. a perda é inequívoca.

    ResponderExcluir
  3. Saudações quem aqui posta e quem aqui visita.
    É uma mensagem “ctrl V + ctrl C”, mas a causa é nobre.
    Trata-se da divulgação de um serviço de prestação editorial independente e distribuição de e-books de poesia & afins. Para saber mais, visitem o sítio do projeto.

    CASTANHA MECÂNICA - http://castanhamecanica.wordpress.com/

    Que toda poesia seja livre!
    Fred Caju

    ResponderExcluir