quarta-feira, 12 de setembro de 2012


enquanto
me olham

e aguardam
todos

um sorriso sincero

eu divago
e desespero

2 comentários:

  1. desesperar é perder a esperança...
    mas, como poeta que és, por que não darmos outra acepção? algo como "des-esperar: não esperar".

    isso! a poeta não espera nada; ela está depois das coisas esperadas; ela vê tudo como se tudo já acontecera!

    então, divaga e des-espera porque na vaga das coisas, está a poeta e sua poesia.

    Beijos, Alê!

    ResponderExcluir