segunda-feira, 10 de setembro de 2012

sem cura

enfermeço sim

sem afetação

num simplesmente
nu!

cada tropeço sincero
de minha
auto extrema
unção estima

entrego
(sem reter-me)
ao seu olhar desprezo

diante do qual
hoje sempre
adoeço

Nenhum comentário:

Postar um comentário