segunda-feira, 1 de outubro de 2012

perdi a voz
em meio
um
sonolento
e semi
estranho
mal estar

caindo sobre
em si
perdi

em meio
esse petróleo
circular opaco

em vez de som
ora em quando
arroto entalos
e enganos

descortinando
a falta
mais absurda

pálpebra negra
seda  apagada
e muda

apareci
tão parca
e pesada

parto q o mundo
mal suporta

de meia em meia hora
meu suspiro
aborrecido

me auto aborta

2 comentários:

  1. A poesia anda por aqui de mãos dadas com gente grande. Amadurecimento da poeta.
    Está lindo, Menina! Bjim

    ResponderExcluir
  2. só vc mesmo, Dani! Sempre dando um jeito de me fazer feliz!!! Tiadoloooo!

    ResponderExcluir